Identifique-se / Registe-se
JÁ ESTOU REGISTADO

Introduza o seu username e password para se identificar na nossa página.
Username
Password
Recuperar password
Login
QUERO CRIAR UMA CONTA

Se ainda não tem uma conta criada, utilize esta opção para aceder ao formulário de registo.
Nova conta
Dados de acesso inválidos
Não existe nenhuma conta registada que coincida com o USERNAME e a PASSWORD que introduziu.

Se não recorda a sua PASSWORD, utilize o link Recuperar password.

Se deseja registar-se, utilize o botão Nova conta.
Voltar
QUERO CRIAR UMA CONTA

Se ainda não tem uma conta criada, utilize esta opção para aceder ao formulário de registo.
Nova conta
Recuperar password
ESQUECEU A SUA PASSWORD?

Se esqueceu a sua PASSWORD, indique o seu USERNAME ou o seu EMAIL e enviar-lhe-emos um email com os dados de acesso.
Usename / email
Login
Recuperar
QUERO CRIAR UMA CONTA

Se ainda não tem uma conta criada, utilize esta opção para aceder ao formulário de registo.
Nova conta
Alterar password
Altere a sua password
Nova password
Confirme password
Fechar
Alterar
QUERO CRIAR UMA CONTA

Se ainda não tem uma conta criada, utilize esta opção para aceder ao formulário de registo.
Nova conta
voltar História(s)
A revolta de Santarém, Janeiro de 1919
19-01-2016

Santarém viveu uma semana agitada entre 10 e 17 de Janeiro de 1919, quando a cidade foi palco de uma inédita revolta que envolveu civis e militares do mesmo lado.

O movimento revolucionário que Santarém testemunhou teve focos semelhantes em Lisboa ou Covilhã, locais onde os levantamentos populares foram controlados sem grande dificuldade. Em Santarém, a situação foi muito diferente. Para além de envolver um maior número de tropas sublevadas, reuniu do mesmo lado elementos democráticos, evolucionistas, independentes, ex-sidonistas e socialistas.

Numa proclamação saída de Santarém, os revoltosos exigiam a demissão do então governo de Tamagnini Barbosa, a dissolução do Congresso ou a realização de eleições livres. Deixava ainda indicações para a formação de um novo governo, constituído pelos partidos republicanos e socialista, mas que integrasse igualmente personalidades sem qualquer filiação partidária.

Perante a falta de entendimento e a recusa de qualquer negociação por parte das forças governamentais, a cidade foi bombardeada no dia 14 de Janeiro, por engenhos disparados a partir de aviões que descolaram da base aérea de Tancos, em Vila Nova da Barquinha. Em terra, o planalto escalabitano foi cercado e atacado por colunas militares vindas de Lisboa, Alentejo, Coimbra e Porto. Contaram-se 12 mortos e vários feridos entre os revoltosos sitiados.

Bombas e rendição

A 15 de Janeiro, com a cidade rodeada por uma força militar que chegou a contar com 15 mil homens, os revoltosos viram-se forçados a aceitar negociações para definir os termos da rendição. Os líderes da revolta depuseram as armas e renderam-se formalmente dois dias depois, a 17 de Janeiro. Terminava assim, a chamada 'Revolução de Santarém'.

Os acontecimentos foram seguidos em todo o país, que acompanhou a revolta através de várias notas oficiosas distribuídas pelo governo entre a Imprensa nacional.

Com o levantamento dominado, a 17 de Janeiro de 1919, podia ler-se que “as tropas leais ao governo ocuparam Santarém desde esta manhã. O Sr. Coronel Andrade Velez que era quem comandava as operações militares do sul assumiu o comando militar de Santarém. Foram organizadas colunas volantes para a captura dos revoltosos que não foram presos por andarem a monte. O serviço de combóios na linha do norte fica hoje normalizado”. E assim foi. CQ

 

As imagens, captadas pelo fotógrafo Franco Anselmo, mostram o Campo Sá da Bandeira após a entrada na cidade das tropas leais ao governo e a realização de uma missa em homenagem aos mortos do conflito

subscreva a nossa newsletter

Receba no seu email, informações que o vão deixar apaixonado por Santarém!

visite a nossa loja

clique aqui

acessos úteis

clique aqui

porque gostamos de santarém

informações legais

A marca e o sítio estão protegidos por direito de cópia (© Copyright). A proveniência de textos, imagens, som, vídeos e outros conteúdos do sítio foram cedidos pelos seus proprietários de forma livre e legal. Consulte a política de privacidade.